BNDES anuncia R$ 55 bilhões em medidas emergenciais com o objetivo de reduzir os efeitos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no Brasil.

A diretoria do BNDES aprovou hoje (22) um total de R$ 55 bilhões em medidas emergenciais de reforço para o caixa das empresas e a manutenção de mais de 2 milhões de empregos, com o objetivo de reduzir os efeitos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no Brasil.

As medidas aprovadas foram:
1) Transferência de R$ 20 bilhões do Fundo PIS-Pasep para o FGTS: a medida busca apoiar o trabalhador diretamente com a possibilidade de novos saques e, indiretamente, ao ajudar na manutenção de mais de 2 milhões de empregos com aumento da capacidade financeira e preservação de 150 mil empresas.

2) Suspensão por até seis meses dos pagamentos de empréstimos nas modalidades direta e indireta: o pedido deve ser feito pelas empresas interessadas ao BNDES. Nas operações indiretas, a interrupção deverá ser negociada com o agente financeiro que concedeu o financiamento. O prazo total do crédito será mantido e não haverá a incidência de juros de mora durante o período da suspensão.

As interrupções dos pagamentos vão atender setores como o de petróleo e gás, aeroportos, portos, energia, transporte, mobilidade urbana, saúde, indústria e comércio e serviços.

3) Ampliação do crédito para micro, pequenas e médias empresas, por meio dos banco parceiros, no valor de R$ 5 bilhões: o banco vai ampliar a abrangência da linha "BNDES Crédito Pequenas Empresas", que passará a contemplar desde microempresas até aquelas com faturamento anual de até R$ 300 milhões. O limite de crédito por beneficiário por ano será elevado de R$ 10 milhões para R$ 70 milhões. As empresas terão 24 meses de carência e cinco anos de prazo total para pagar esses novos financiamentos.

Comentários